Um grande impacto é apenas consequência de um grande coração

“Achei a Davi, filho de Jessé, homem segundo o meu coração, que fará toda a minha vontade.” Atos 13:22



Deus acredita em pessoas comuns. Enxerga além do estereótipo, rompe limitações e escolhe justamente aqueles que fazem parte de uma paisagem corriqueira. A verdade é que a religião não suporta um Deus que é capaz de separar alguém tão improvável para reinar sobre as circunstâncias e provar tamanha benevolência quando o cenário parece desfavorável.

É interessante mergulhar na história de Davi e perceber que, mesmo no anonimato, Deus conhece o coração do homem. Provavelmente, quando Samuel questiona a Jessé em 1 Samuel 16:11 sobre os filhos, Davi foi o último a ser lembrado, talvez pela ótica de Jessé não era relevante a ponto de ser alguém ungido, por ser apenas um menino e por estar ocupado com o apascentamento das ovelhas. Parece óbvio, mas Deus contradiz o padrão do homem. Ele escolhe a quem quer e como quer, independentemente de qualificações ou capacidades que ornam como características pessoais.

Dormir o sono da indiferença, é perder, aos poucos, a sensibilidade de discernir aqueles que possuem um coração segundo o coração de Deus, simplesmente por permitirmos que a neblina ofusque o brilho dos olhos e roube a nossa atenção para aqueles que são mais capazes, úteis e qualificados. Estes não estão preocupados em fazer a vontade de Deus, tampouco ser mais parecido com Ele, mas querem a todo o custo serem melhores que os outros, numa busca desenfreada por causar um grande impacto, pois a autoconfiança sobrepuja a dependência de Deus.

O coração petrificado, não se sensibiliza, não se comove com o outro, ao contrário, o ego grita autossuficiência. Vale o que eu faço, não importa quem eu sou é o pensamento errôneo daqueles que confiam em si mesmos. O desinteresse de alguém que não está preocupado em ser o mais parecido com a pedra angular, de maior referência, que é Cristo, sempre desprezará as pessoas que Deus coloca pelo caminho.

Um grande impacto na vida de outrem é fruto que antecede um grande coração. O que conta para Deus não é o que aparentamos ser, mas quem de fato somos. Ele não se impressiona com o nosso desempenho exterior ou bom comportamento, mas com as intenções do coração. O farisaísmo disfarçado de boa aparência é belo por fora, mas vazio por dentro. Homens dão valor a embalagem, Deus valoriza o conteúdo.

Davi cresceu e tornou-se um Rei reconhecido em Israel, não porque impactou com os grandes feitos, mas por expressar um coração segundo o coração daquele a quem o escolheu ainda quando estava atrás das ovelhas. Deus é especialista em escolher pessoas comuns e improváveis que, aos olhos dos outros não chegariam muito além, e surpreender manifestando o seu poder inenarrável de transformar os bastidores em palco principal para demonstrar que pode fazer de meninos uma referência para uma nação inteira e experimentar o extraordinário no tempo oportuno. Deixe que o grande impacto seja apenas consequência de alguém que teve um grande coração. Na história, seja aquele que impactou por ser parecido com Ele e não por fazer qualquer coisa para parecer qualquer pessoa.

Matheus Grismaldi é escritor, missionário e assessor de comunicação e imprensa em Angola, África. Também integra equipe de plantações de Igrejas, dedica-se ao discipulado, apaixonado pelo Evangelho e faz parte da liderança na Igreja Videira, Vinha Angola. É o filho caçula de três irmãos, nascido em lar cristão, natural de São Paulo, carrega o sonho de ver uma geração vivendo a grande comissão e missões transculturais.

* O conteúdo do texto acima é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Leia o artigo anterior: A importância de não ser escravo da comparação

Read More

Leave Your Comments

Your email address will not be published.

Copyright 2011-2021. All Rights Reserved